Coluna Top Social!

Coluna Top Social!
Coluna Domingo Top no Jornal Extra!

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Marília Pêra receberá homenagem na Ilha.

Diva do cinema é lembrada por sua carreira extensa e consagrada em festival de cinema; cerimônia será hoje


Anderson Corrêa
Da equipe de O Estado

A atriz Marília Pêra será a ilustre homenageada durante o encerramento da 35ª edição do Festival Guarnicê de Cinema, hoje, no Teatro Arthur Azevedo, em São Luís. Com uma extensa e consagrada trajetória nos palcos, no cinema e na televisão, a artista brincou quando indagada sobre a possibilidade de encerrar a carreira após tantos anos sobre a luz da ribalta. “Pensei em parar em vários momentos da minha vida. Seria bom se eu conseguisse fazer isso e viver só para ser homenageada”, brincou.
Sobre o festival, Pêra acredita que eventos como esse são uma oportunidade para a formação de plateia. “Uma forma de fazer com que os filmes chegam até as pessoas mais humildes. O cinema é importante para mim. Sei que ele pode ensinar as pessoas. E o governo deve ter o compromisso de possibilitar que ele chegue a todas as pessoas. Artistas e jornalistas têm papel fundamental também em divulgar esses festivais”, afirmou.
A atriz acredita que o Brasil é um país de muitos talentos e que o cinema nacional tem obtido exitoso prestígio pelos maiores festivais do mundo. “Para mim, é uma grande surpresa ver nossos cineastas participando desses eventos. Aprendi muito com eles. Quanto aos atores, sei que existem bons artistas, mas não é preciso ter talento para atuar no cinema e na TV. Pode-se gravar fala a fala. No teatro, é diferente. Ali, o artista tem de ser um atleta”, compara.
Contudo, Pêra não considera menor ou maior algum dos gêneros. “Eu quero é ter uma boa história para contar; um personagem que me ensine; um diretor que saiba harmonizar; e colegas que saibam compartilhar”, definiu a atriz que confessou ainda ter inveja de nomes como Meryl Streep. “No Brasil, às vezes atores e atrizes mais velhos fazem papéis pequenos. Tenho uma inveja branca, boa, dela, se é que existe isso. Porque ela envelhece e a indústria do cinema sempre procura novos personagens para ela. Porque o público gosta”, explicou.
Versatilidade - Tida como uma artista completa, Marília Pêra atua, canta, produz e escreve. “Hoje, não produzo mais quanto eu produzia. Estou mais atuando. Mas também estou aprendendo a cantar. Tenho medo disso. É como se eu não merecesse. Como se fosse um privilégio. Mas poder cantar nos palcos me dá uma felicidade imensa”, disse a atriz, que se prepara para fazer os musicais Hello, Dolly, com direção de Miguel Falabella, e Herivelto Como Conheci, no ano em que se comemora o centenário do compositor e músico Herivelto Martins, dirigido por Claudio Botelho.
Marília também tem escrito alguns textos que não foram ainda divulgados e recentemente escreveu o livro Cartas Para Uma Jovem Atriz, que narra momentos de sua vida e as experiências que teve - desde a infância, na qual se destaca a influência de seus pais, atores, em sua formação artística, até a fase adulta, quando o leitor pode tomar contato com um pouco da história da dramaturgia brasileira.
 
Na foto a atriz aparece com William Santos durante a coletiva de imprensa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MUITO OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO.