Coluna Top Social!

Coluna Top Social!
Coluna Domingo Top no Jornal Extra!

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

NOTÍCIA.

Lady GaGa enfrenta homofóbico em club do Canadá

Cantora jogou bebida no homem que disparou ofensas contra ela e Adam Lambert

Related Posts with Thumbnails

Que Lady GaGa defende e ama o público gay não é novidade alguma, então dá pra imaginar o que pode acontecer quando alguém se aproxima dela com atitudes homofóbicas.

A cantora demonstrou que sua defesa vai além dos holofotes quando precisou enfrentar um homofóbico em um club de Ottawa, no Canadá – cidade onde a cantora realizou um dos shows da sua turnê “The Monsterball Tour”.

Lady GaGa estava dançando com seus amigos quando foi abordada pelo tal homem que disparou ofensas homofóbicas contra ela e o cantor gay assumido Adam Lambert.

Lady GaGa por David LaChapelle

Lady GaGa por David LaChapelle

De acordo com o National Enquirer, o homem usou um termo pejorativo para se referir à Adam Lambert e falou que GaGa seria um homem.

Educadamente, a cantora apenas respondeu “Bem, essa é sua opinião, certo? Então não vou perder meu tempo tentando mudá-la”, mas parece que o homem estava com vontade de brigar e continuou com as ofensas falando que os dois são “aberrações” e vão para o inferno.

Como paciência tem limite, Lady GaGa não aguentou e disparou: “Ok, chega. Me chame do que quiser, mas quando começar a xingar meus amigos, já era – é guerra!“.

Em seguida, a cantora jogou bebida na cabeça do homem e foi embora do club.

Falando em Lady GaGa… Pelo visto não é só o homofóbico de Ottawa que acha Lady GaGa uma pecadora com passagem garantida para o inferno.

Integrantes da radical Igreja Batista de Westboro, Estados Unidos, estão organizando um protesto em frente ao Fox Theatre, local onde GaGa fará um show em 7 de janeiro.

Com a campanha “Deus Odeia Lady GaGa (God Hates Lady GaGa)” os manifestantes pretendem protestar contra as apresentações provocantes e roupas despudoradas da cantora que são consideradas uma revolta contra Deus.

Em defesa de Lady GaGa, o padre português Edgar Clara diz que Deus não a odeia e os ataques não passam de uma tacada de marketing do líder da Igreja Batista de Westboro, Fred Phelps, que quer promover a imagem da instituição não reconhecida como batista por outras do gênero.

Enquanto isso no Brasil Nada de inferno e nada de protestos. Aqui, os boatos crescem sobre a possível apresentação da cantora no país, que já teria datas agendas para o primeiro semestre deste ano, inclusive com uma apresentação em um club gay de São Paulo.

A gravadora Universal Music confirmou as negociações para trazer a “The Monsterball Tour” ao Brasil.

Ao que tudo indica, a empresa responsável pela vinda da cantora ao país é a T4F – Time For Fun – responsável por toda confusão na venda dos ingressos para os shows de Madonna, no final de 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MUITO OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO.