Coluna Top Social!

Coluna Top Social!
Coluna Domingo Top no Jornal Extra!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

NOTÍCIA - TRISTE.

Travesti é morto a golpes de faca na Avenida Guajajaras.
Revoltados, gays e lésbicas fazem ato de protesto contra a violência e a homofobia em São Luís
O presidente da Associação de Travestis e Transexuais do Maranhão (Atrama), Daniel
Silva da Conceição, mais conhecido como “Sabrina Drummond”, foi assassinado a facadas, sábado à noite, por volta das 22h30. De acordo com informações da polícia, o travesti, que tinha 43 anos de idade, foi morto a golpes de faca (no pescoço e nas costas), por um desconhecido e seu corpo foi encontrado em um matagal à margem da Avenida Guajajaras, no bairro São Cristóvão. Dirigentes de entidades de defesa dos gays disseram ao Jornal Pequeno, que a Sabrina, que morava na Rua 4, Quadra 4, casa 1, no Jardim América do Norte (Cidade Operária), era presidente da Associação de Travestis e Transexuais do Maranhão (Atrama) e tinha por costume orientar suas amigas sobre doenças sexualmente transmissíveis (DST/Aids), além de distribuir preservativos entre aqueles que fazem programas. As causas e circunstâncias do crime ainda estão sendo investigadas pela polícia, bem como a identidade do assassino. Testemunhas afirmaram que o criminoso foi visto correndo pela avenida, instantes depois de ter praticado do crime, mas suas características foram repassadas aos investigadores do 6º Distrito Policial (Cohab), onde será instaurado o inquérito para apurar o homicídio. O assassinato de “Sabrina Drummond” provocou indignação e protesto. O coordenador do Grupo Gaivota, Airton Ferreira, e a presidente da Associação das Profissionais do Sexo do Maranhão (Aprosma), Maria de Jesus Almeida Costa, disseram que este homicídio tem características de crime homofóbico, e foi praticado com requintes de crueldade. A dirigente do Grupo Lésbico do Maranhão (Lema), Celise Azevedo, disse que “Sabrina Drummond” morreu lutando pela causa, pois no momento do crime estava distribuindo preservativos para travestis que trabalham ao longo da Avenida Guajajaras, no bairro São Cristóvão. Indignado, Carlos Garcia, que participa tanto do grupo Atrama quanto do Gaivota, disse que “chega até a ser uma ironia, tão trágica, pois no momento em que se comemora os 61 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, morre assassinado justamente um ativista desta causa, e de forma tão fria e tão cruel”. Outros lideres do movimento, como Babalu Rosa, do Solidário Lilás, e Herberth Sousa, do Grupo Passo Livre, compareceram ao velório, realizado na sede da Escola Flor do Samba, no tradicional bairro do Desterro. No final da tarde de ontem, muitos amigos, familiares e militantes de movimentos sociais acompanharam o sepultamento de “Sabrina Drummond” no Cemitério Paraíso, na Vila Embratel.

ESTOU INDIGNADO COM ESSA NOTÍCIA, POIS SABRINA ERA UMA PESSOA GENTE FINA E QUE SE PREOCUPAVA COM OS TRAVESTIS DO MARANHÃO, QUERO VER O TRABALHO DA POLICIA AGORA POIS MUITOS CASOS HOMÓFOBICOS NÃO FORAM RESOLVIDOS, VAMOS FAZER ALGO PARA MUDAR ESSA SITUAÇÃO, FIZ MUITOS TRABALHOS COM A SABRINA EM PARCERIA DO PROJETO CENTRO DE JOVENS - BEMFAM E ATRAMA, FICA AQUI OS MEUS SINCEROS SENTIMENTOS A ESSA PESSOA QUE LUTAVA PELOS OS DIREITOS E A DIGNIDADE, VAMOS LUTAR E NÃO DEIXAR CAIR NO ESQUECIMENTO.
FONTE: BLOGO DO MANOEL SANTOS DO JORNAL O PEQUENO.
ABRAÇÃO E UM BOM COMEÇO DE SEMANA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MUITO OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO.