Coluna Top Social!

Coluna Top Social!
Coluna Domingo Top no Jornal Extra!

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Notícia - Saúde.

Dia Nacional de Combate ao Colesterol.
Professor avalia que o tratamento a base de dieta de ervas, fibras e soja não é tão eficiente quanto o com medicamentos. Uma alimentação saudável é muito importante para manter os níveis aceitáveis de colesterol, mas dependendo do grau é mais eficiente a ingestão de medicamentos. De acordo com o professor do Departamento de Medicina da UFMA e presidente da SBC do Maranhão, Francisco Monteiro, o tratamento a base de dieta de ervas, fibras e soja diminui um pouco mais de 10% do colesterol, enquanto que o tratamento com medicamentos que agem com estatina (substância combativa ao colesterol), a redução é de 30 a 50%. Monteiro chama atenção para o fato da eficiência da dieta não ser comprovada cientificamente contra infartos e derrames. A ingestão desses alimentos e a prática de exercícios contribuem para aumentar a quantidade do bom colesterol e prevenir o aumento do colesterol ruim. De acordo com o médico, os grupos de riscos são pessoas com pré-disposição genética, hipertensas, diabéticas, ou que abusam de alimentos que contêm gordura saturada, como carnes gordas, laticínios, mortadela, entre outros. Para não aumentar a quantidade de LDL, reduza o consumo de carnes gordurosas, embutidos, frituras, manteiga e produtos com gordura vegetal hidrogenada. Aumente a quantidade de fibras (aveia, leguminosas etc) na sua alimentação. O colesterol é um tipo de gordura produzida pelo fígado, que circula no sangue. Ela é fundamental para funções como constituição de vitaminas, dos hormônios e da membrana das células. Quando os níveis no sangue se elevam acima dos normais, ele passa a ser prejudicial à saúde e é considerado como uma das principais causas de doenças cardiovasculares, que matam 800 mil pessoas por ano no Brasil. A taxa ideal de colesterol total seria menor que 200 mg/dl (miligramas por decilitro de sangue), ou seja, abaixo de 130 mg/dl, para o LDL, e maior ou igual a 60 mg/dl, para o HDL (segundo dados da SBC). “Esse aumento leva à formação de placas obstrutivas da corrente sanguínea, chamadas placas de ateroma. Quando essa placa se rompe, pode haver formação de coágulo e, até um entupimento. Exemplos de consequências desse entupimento, são o infarto e o derrame”, afirma Monteiro. O colesterol elevado não apresenta sintomas. A única maneira de saber se seu colesterol está alterado é por meio de um exame de sangue. HU e Sociedade de Cardiologia promove atividades No dia 8 de agosto, considerado o Dia Nacional de Combate ao Colesterol, acadêmicos da Liga de Hipertensão e do Núcleo de Cardiologia vão desenvolver ações de conscientização como distribuir material informativo sobre a doença e suas formas de prevenção e combate e aferir pressão arterial à comunidade. Essas ações serão realizadas durante toda a sexta-feira das 8 às 16 horas.
TENHA UM BOM DIA E UMA BOA SEXTA.
WILLIAM SANTOS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MUITO OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO.