Coluna Top Social!

Coluna Top Social!
Coluna Domingo Top no Jornal Extra!

sábado, 25 de julho de 2009

O MAIS NOVO CARRO.

Tata Nano pode chegar ao Brasil pelas mãos da Fiat Afirmação foi dada pelo próprio dono da fabricante do Nano, Ratan N. Tata, ao jornal italiano “La Stampa” Texto: Gustavo Henrique Ruffo Foto: Divulgação
A reportagem que fizemos sobre a primeira entrega de um Tata Nano, o carro mais barato do mundo, deve ter deixado um monte de gente com inveja. Especialmente diante da série de reportagens ”Lá fora”, que mostrou o quanto os brasileiros são penalizados por impostos altos e lucros acima da média. Já imaginou poder comprar um carro novinho por R$ 4.415? Isso é quanto vale um Nano, hoje (112.735 rúpias ao câmbio de hoje). O primeiro a ser entregue, um Nano LX, que traz sistema de climatização do carro (ar quente e ar-condicionado), servo-freio, assentos em duas cores, em tecido, porta-malas com cobertura, banco traseiro rebatível com descansa-braço, travas elétricas, vidros dianteiros elétricos, faróis de neblina, hodômetro digital, porta-copos no painel central, saída de 12V para recarga de equipamentos e aerofólio traseiro, sai por R$ 7.260 (185.375 rúpias). Apesar de a previsão para o Nano chegar por aqui ser só em 2011, o Brasil está definitivamente nos planos da Tata. E, segundo Ratan N. Tata, presidente e dono da empresa, quem deve ajudá-la a chegar por aqui será a Fiat.Foi isso que Tata disse hoje ao jornal italiano “La Stampa”, um dos mais importantes da Itália, com sede em Turim (mesma cidade da Fiat). Segundo ele, a parceria entre as duas empresas deve levar não só o Nano aos países da América Latina por meio da Fiat, mas também ao desenvolvimento de plataformas para novos carrros, para novos caminhões e para a venda de modelos Ferrari e Maserati na Índia por meio da rede de concessionárias da Tata.O anúncio chega em boa hora. Carlos Ghosn, presidente mundial do grupo Renault, confirmou ao jornal “O Globo” que o Bajaj ULC será vendido no Brasil, algo que adiantamos em maio deste ano. Segundo Ghosn, só faria sentido vender o carro por aqui se ele tivesse fabricação nacional.Como essas decisões industriais são normalmente padronizadas, podemos esperar pela fabricação nacional do Nano, o que poderia acontecer na própria fábrica da Fiat. O risco, com isso, é que o carro esteja sujeito à mesma política de preços praticada atualmente no Brasil e denunciada em nossa série especial, tirando do Nano boa parte de seu apelo de baixo preço. Tomara que não seja esse o destino do carro, mas é para essa direção que as coisas estão apontando...O Nano tem 3,1 m de comprimento, 1,5 m de largura e 1,6 m de altura e é dotado de um motor traseiro de dois cilindros, todo de alumínio, com 624 cm³, 35 cv a 5.250 rpm e 48 Nm a 3.000 rpm. Com um peso de cerca de 600 kg, ele será capaz de atingir 105 km/h de velocidade máxima. Se o desempenho não empolga, consumo e emissões são dignos de nota: ele faz 23,6 km/l, o que, com seu tanque de 15 l, dá uma autonomia de 354 km. Em termos de dióxido de carbono, ele libera apenas 101 g/km. A garantia oferecida para o Nano é curta: 18 meses ou 24 mil km, o que vencer primeiro.Todos os freios do carro usam tambores, o que seria um bocado temerário se ele atingisse velocidades mais altas, mas, com uma máxima de 105 km/h, não deve ser um grande problema, especialmente no tráfego carregado das grandes cidades indianas. Em estradas, onde pouca gente deve se atrever a colocar o Nano, há um risco mais alto de o freio esquentar e perder eficiência. Especialmente sabendo que os freios não contam com hidrovácuo, que diminui a força da frenagem, a não ser a partir da versão intermediária do carro.No que se refere ao Bajaj ULC, ele vem sendo desenvolvido pela Bajaj, fabricante indiano de motocicletas, em parceria com a Renault e com a Nissan. No Brasil ele também deve chegar em 2011 sob qualquer um dos emblemas, mas nós apostamos que ele virá como Renault por conta da maior rede de distribuição da marca francesa. A Nissan também poderia desenvolver uma variante do carrinho, mas o mais certo é que a Renault, em breve, apareça como a fabricante do carro mais barato do Brasil, algo que erroneamente se esperava do Logan.Apesar de ter custo bem baixo, cerca de US$ 3.000, ou pouco mais de R$ 6.000, o Bajaj ULC quer se firmar mesmo é como um carro para lá de econômico. Segundo a empresa, a meta é que ele atinja 35 km/l. Como ele terá motores a diesel e a gasolina, é possível que essa meta seja atingida com a primeira opção de motorização, o que não quer dizer que a versão a gasolina seria beberrona. No Brasil, como você infelizmente já sabe, diesel não pode ser usado em carros de passeio.Se você, leitor, souber de algo a respeito desses carros ou conseguir flagrar qualquer novidade antes que ela seja oficialmente lançada, não hesite em entrar em contato pelo e-mail editorial@webmotors.com.br e nos enviar as imagens, pelas quais não haverá nenhuma outra remuneração que não o gosto de dividir a novidade com os outros leitores. Não se esqueça de autorizar expressamente a publicação das fotos e também de nos contar a história do flagrante em detalhes. A comunidade de leitores agradece!
BOM FIM DE SEMANA.
ABRAÇÃO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MUITO OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO.